Hortolândia: Pacientes do Caps Vida se mobilizam pelo Dia da Luta Antimanicomial Hortolândia: Pacientes do Caps Vida se mobilizam pelo Dia da Luta Antimanicomial
  Evento realizado pela Prefeitura de Hortolândia, busca inserir pacientes psiquiátricos na rotina comum, sem necessidade de internações prolongadas Na manhã desta quinta-feira (18/05),... Hortolândia: Pacientes do Caps Vida se mobilizam pelo Dia da Luta Antimanicomial

 

Evento realizado pela Prefeitura de Hortolândia, busca inserir pacientes psiquiátricos na rotina comum, sem necessidade de internações prolongadas

Na manhã desta quinta-feira (18/05), pacientes psiquiátricos atendidos no Caps (Centro de Atenção Psicossocial) Vida, órgão da Prefeitura de Hortolândia, participaram de uma mobilização pelo Dia Nacional da Luta Antimanicomial. A programação, realizada na praça do Parque Ortolândia, tem como objetivo chamar a atenção da população em geral sobre a possibilidade de acompanhamento e tratamento de pessoas com transtornos mentais sem a necessidade de internações hospitalares prolongadas. A programação “Desculpe o transtorno (mental), estamos em reforma (pisiquiátrica)” contou com café da manhã, capoeira, zumba e apresentação musical.

“Este evento é muito positivo, pois mostra para a população em geral que o paciente pode levar uma vida livre, desde que acompanhado por equipe multidisciplinar. Em casos de crises graves, recorremos ao atendimento hospitalar, não manicomial, sempre com a proposta de que esta pessoa tenha uma alta rápida e volte para os cuidados de sua família”, destacou a psicóloga do Caps Vida, Ivanilde Martins Antonelli.

O dia 18 de maio teve origem em 1.987, com o Encontro dos Trabalhadores da Saúde Mental, ocorrido em Bauru, reunindo mais de 350 trabalhadores na área de saúde mental em busca de uma experiência de desinstitucionalização da psiquiatria. O tratamento psiquiátrico, até então, se concentrava em internações hospitalares. Como resultado desta e de outras mobilizações, a Reforma Psiquiátrica foi aprovada em 2001, através da Lei Federal 10.216. Isso significa que o atendimento aos pacientes com transtornos mentais passou a ser acompanhado por uma rede de atenção psicossocial, estruturada em unidades de serviços comunitários onde cada paciente tem sua vida livre, participando de atividades terapêuticas e de reabilitação, sempre acompanhados da família.

A rede de atenção psicossocial em Hortolândia conta com o Caps Vida, que atende adultos, o Caps-IJ (Infanto Juvenil), com foco na reabilitação de menores de 18 anos, e o Caps-AD (Álcool e Drogas), que atende usuários de álcool e outras drogas. Neste locais, equipes multidisciplinares atuam no acompanhamento, tratamento e reabilitação dos pacientes, por meio de atividades diversas. Os pacientes são acolhidos pelas USFs (Unidades de Saúde da Família) e UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e encaminhados de acordo com cada caso para a unidade de referência.

No Caps Vida, cujo foco principal são pacientes com transtorno mental grave e crônico, são 380 atendimentos ativos, sendo 74 pacientes com frequência diária para reabilitação. Os demais participam de aulas de esporte, artesanato e diversas outras ações de inserção social, realizadas em parceria com outras secretarias municipais.

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a deixar comentários abaixo.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *