Inverno em SP: as belezas da região serrana e do circuito das águas Inverno em SP: as belezas da região serrana e do circuito das águas
Confira dicas e curiosidades sobre algumas das cidades do Estado paulista ideais para quem curte o charme e o aconchego do frio Uma das... Inverno em SP: as belezas da região serrana e do circuito das águas

Confira dicas e curiosidades sobre algumas das cidades do Estado paulista ideais para quem curte o charme e o aconchego do frio

Uma das frases mais famosas da série “Game of Thrones” é “o inverno está chegando” (winter is coming, em inglês), que se repete como um mantra ao longo das temporadas desde que foi dita por Ned Stark, um dos personagens da trama do americano George R.R. Martin.

—>>“Dê um click nos banners de publicidade dos nossos parceiros e ajude o Portal Novidade a crescer”<—

Enquanto os habitantes da terra dos Sete Reinos, em Westeros, onde se passa a história, não sabem exatamente quando a estação mais fria vai chegar, por aqui o inverno começa precisamente nesta quinta-feira, 21 de junho.

O frio é apreciado por muita gente que curte o aconchego das cidades serranas, o charme das roupas e acessórios, das lareiras e a deliciosa gastronomia. Pensando nisso, selecionamos algumas cidades do Estado de São Paulo conhecidas por reunir essas características, além de opções de lazer e atividades em meio à natureza.

Araçoiaba da Serra
Com exuberante beleza natural, o município conhecido como “Esconderijo do Sol” fica a 123 km da capital paulista e, no passado, era destino dos Bandeirantes, que vasculhavam a região em busca de minas de ouro. Um dos atuais pontos turísticos locais é o Morro de Araçoiaba, onde os Bandeirantes encontraram as primeiras minas da região e onde foram construídos os primeiros fornos de fundição, em 1591, preservados até hoje. Outra atração é o Horto Florestal, ideal para se reunir com os amigos e conhecer locais de preservação da natureza.

Campos do Jordão
Parte integrante do Circuito Serra da Mantiqueira, a famosa estância turística fica a 173 km da capital e, em 1957, no Congresso Climatológico de Paris, foi reconhecida como dona do “melhor clima do mundo”. Aliado às belas paisagens, tranquilidade, a charmosa arquitetura em estilo suíço-europeu dos hotéis, pousadas, lojas, restaurantes, bares, chocolaterias, bistrôs e pubs, a cidade tem vocação natural para o turismo e atrai milhares de visitantes no outono e inverno. Entre os eventos culturais mais festejados, está o Festival de Inverno, com apresentações artísticas nacionais e internacionais.

Santo Antônio do Pinhal
Esta estância climática fica nas proximidades de Campos do Jordão, no Vale do Paraíba, e pertence ao Circuito Turístico da Mantiqueira, devido a Serra de mesmo nome, considerada uma das mais belas do Brasil. Com diversas montanhas, picos, rios e vales, os visitantes têm no ecoturismo um dos pontos fortes. Não faltam opções também para quem busca aventura, em atividades como escalada, rapel, arvorismo, trilhas, off-road, voo livre, entre outras. A tradicional Festa do Pinhão, que acontece nos meses de maio a agosto, é ótima pedida para quem aprecia o fruto típico da região, além das barracas de comidas típicas, artesanato, apresentações e shows. O nome é decorrente das diversas espécies de araucárias que a cidade abriga, que em tupi-guarani significa “montanha que chora” ou “serra onde nascem as águas”.

São Bento do Sapucaí
Porta de entrada para a famosa Pedra do Baú – que, ao contrário do que muitos pensam, não pertence a Campos do Jordão –, essa estância climática fica a 185 km da capital e possui paisagem rústica com ar bucólico, repleta de casinhas simples, ruas de terras e os encantos naturais da Serra da Mantiqueira. Há também pousadas charmosas e confortáveis escondidas em meio à vegetação nativa. Os amantes de esportes radicais encontram opções para praticar rapel, escaladas, caminhadas, voo livre, entre outras atividades. Os turistas podem ainda conhecer e comprar produtos do artesanato local da Associação Arte no Quilombo, formada por 80 artesãos que usam palha de bananeira, sambentista, fruta cultivada na cidade, entre outros materiais.

São Pedro
Distante 190 km da capital, a estância turística integra o Circuito Serra do Itaqueri e é procurada por visitantes de todo o Estado em busca das belíssimas paisagens, cachoeiras no meio da cadeia de montanhas formadas pela serra, fazendas e parques ecológicos. São muitas opções de lazer, aventura com práticas de esportes radicais e descanso para os turistas. Típica cidade do interior, São Pedro acolhe os visitantes com muita hospitalidade em seus diversos hotéis fazenda, além dos restaurantes, praças, parques, museus, eventos musicais, casarões antigos e igrejas. Fundada no século XIX por imigrantes italianos que colonizaram a região investindo na cafeicultura, a cidade – que de longe lembra um presépio napolitano – mantém suas tradições culturais e gastronômicas.

Serra Negra
Pertencente ao Circuito das Águas Paulistas, essa estância hidromineral fica a 142 km da cidade de São Paulo e possui inúmeras opções de lazer, além do saudável clima de montanha e fontes de águas minerais com propriedades terapêuticas. Em 1928, foi descoberta a riqueza radioativa das águas locais, e dois anos depois foi criado um pavilhão de hidroterapia ao lado da fonte. A qualidade das águas minerais deu a Serra Negra o título de “Cidade da Saúde”, pelo então Presidente da República Washington Luís. Com excelente infraestrutura, a cidade atrai turistas que vão em busca dos recursos naturais e hidrominerais e do reconhecido comércio de produtos em lã e linha (malharias), vestuário e acessórios em couro, enxovais, presentes e artesanatos diversos, com preços acessíveis. Serra Negra também possui um forte turismo de negócios, devido aos grandes centros de convenções e rede hoteleira impecável para receber eventos corporativos.

Veja também: Cinco lugares para fazer bate e volta próximos de São Paulo

Roda SP no Circuito das Águas Paulista

Uma boa opção para conhecer os destinos é o programa Roda SP, que oferece um confortável passeio de ônibus a pontos turísticos do território paulista por apenas R$ 10, conforme o fluxo de pessoas em festas e períodos de férias. São roteiros com atrações pré-definidas sob acompanhamento de um guia de turismo durante todo percurso e visitação dos atrativos.

Este ano, a integração turística passa por nove municípios do Circuito das Águas Paulista: Águas de Lindóia, Amparo, Holambra, Jaguariúna, Lindóia, Monte Alegre do Sul, Pedreira, Serra Negra e Socorro, além da cidade de Campinas. De 21 de junho a 6 de julho, são 11 roteiros de um dia envolvendo 30 atrativos turísticos da região, além de equipamentos e estabelecimentos de gastronomia.

Para mais informações sobre o Roda SP, clique aqui.

Se a ideia é cair na estrada para explorar essas e outras opções, vá tranquilo. O Estado de São Paulo possui estradas cada vez mais modernas e seguras, classificadas como as melhores do país. Em 2017, pela 14ª vez consecutiva, a pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes (CNT) revelou que as melhores rodovias do país são as paulistas.

Veja também: Quer passear pelo interior? Conheça o circuito de fazendas históricas

Abaixo, listamos as cidades historicamente mais frias de São Paulo a partir de informações da Defesa Civil do Estado. Campos do Jordão ocupa o primeiro lugar da lista, seguida por Taubaté, ambas no Vale do Paraíba, com Itapeva e São Miguel do Arcanjo na terceira e quarta posições, respectivamente, todas com médias de temperaturas mínimas abaixo de 10ºC.

Confira a lista completa abaixo e vá preparado para o frio!

Cidade Média Climatológica da Temperatura Mínima (em °C)
1. CAMPOS DO JORDÃO 2.7
2. TAUBATÉ 8.7
3. ITAPEVA 9.0
4. SÃO MIGUEL ARCANJO 9.8
5. BARRA DO TURVO 10.0
6. AVARÉ 10.1
7. OURINHOS 10.3
8. PIRACICABA 10.4
9. SOROCABA 10.4
10. SÃO LUIS DO PARAITINGA 10.6
11. BARRA BONITA 10.8
12. ITAPIRA 11.0
13. CASA BRANCA 11.1
14. BAURU 11.2
15. RANCHARIA 11.4
16. SÃO CARLOS 11.4
17. BARUERI 11.5
18. MARÍLIA 11.5
19. REGISTRO 11.5
20. SÃO PAULO (MIRANTE SANTANA) 11.7
*Fonte: Defesa Civil do Estado de São Paulo.

Campos do Jordão é também a cidade mais alta do Estado de São Paulo e do Brasil, com 1.639 metros de altitude. Além dela, há no Estado mais quatro cidades com altitudes superiores aos mil metros, em relação ao nível do mar. São elas, respectivamente, Santo Antonio do Pinhal, Pedra Bela, Divinolândia e Pedregulho.

Confira a seguir, o ranking das 20 cidades mais altas de São Paulo, segundo o Instituto de Geociências da USP (Universidade de São Paulo).

1 – Campos do Jordão, 1.639,15 metros
2 – Santo Antonio do Pinhal, 1,196,6 metros
3 – Pedra Bela, 1.102,27 metros
4 – Divinolândia, 1.055,47 metros
5 – Pedregulho, 1.010,48 metros
6 – Franca, 996,07 metros
7 – Cristais Paulista, 990,54 metros
8 – Bom Sucesso de Itararé, 965,02 metros
9 – Serra negra, 941,41 metros
10 – Cunha, 939,59 metros
11 – Pinhalzinho, 938,50 metros
12 – São Sebastião da Grama, 929,72 metros
13 – Vargem Grande Paulista, 926,92 metros
14 – Apiaí, 925,85 metros
15 – Joanópolis, 924,36 metros
16- Restinga, 910,98 metros
17 – Itapecerica da Serra, 905,95 metros
18 – Altinópolis, 904,24 metros
19 – São Bento do Sapucaí,  901,06 metros
20 – Lagoinha, 897,37 metros

 

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a deixar comentários abaixo.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *