Objetivo é auxiliar jovens e adultos afrodescentes e de baixa renda a ingressar nas universidades A partir de março, a Prefeitura de Hortolândia, por...

Objetivo é auxiliar jovens e adultos afrodescentes e de baixa renda a ingressar nas universidades

A partir de março, a Prefeitura de Hortolândia, por meio do Departamento de Direitos Humanos e Políticas Públicas para Mulheres, vai oferecer orientação de estudos para jovens e adultos afrodescendentes e de baixa renda que desejam prestar vestibular para ingressar em universidades. A ação é uma iniciativa do projeto Casa Quilombola.

“Apenas um pequeno clique nas publicidades é uma grande ajuda para manter nosso Portal”

Para proporcionar uma orientação mais qualificada aos estudantes, a Prefeitura pede o apoio da população com a doação de livros (com conteúdo atualizado) para reforçar a biblioteca da Casa Quilombola e oferecer um melhor suporte para o vestibular.

De acordo com o a diretora do Departamento de Direitos Humanos e Políticas Públicas para Mulheres, Tereza Godinho, os interessados podem doar livros com conteúdos atualizados de português, matemática, biologia, história, geografia, química, física, redação, literatura, inglês e espanhol.

As doações serão recebidas na Casa Quilombola, localizada na rua Benedito Francisco Faria, 467, Remanso Campineiro, das 9h às 10h30, e das 14h às 15h30. Mais informações sobre as doações podem ser obtidas pelo (19) 3965-1472 e o email: spir.smg@hortolandia.sp.gov.br

O Projeto Casa Quilombola desenvolve ações voltadas ao enfrentamento e combate a todas as formas de preconceito e racismo. Além de valorizar a cultura e os direitos dos negros, o projeto busca melhores oportunidades de trabalho, promoção do empreendedorismo, resgate das tradições afrobrasileiras e ações de valorização para incluir a população afrodescendente em todos os segmentos.

Inovação e nova estrutura

A orientação da população afrodescendente para o vestibular é uma das novidades da Casa Quilombola que está em novo endereço e passou por reestruturação para funcionar melhor.

De acordo com Tereza, a estrutura antiga não atendia as necessidades estabelecidas pelo projeto. Hoje, o projeto Casa Quilombola funciona em um local de fácil acesso, próximo aos pontos de ônibus, possui acessibilidade, além de contar com um espaço amplo e suficiente para abrigar no mesmo local todas as atividades desenvolvidas no projeto e também o Setor de Políticas Públicas de Promoção da Igualdade Racial.

“Essa reestruturação proporciona, de forma articulada, a atuação do governo e os diversos setores da sociedade civil na construção de Políticas Públicas e no trabalho de enfrentamento e combate a todas as formas de preconceito e racismo, valorizando a cultura e os direitos da raça negra”, afirmou a diretora.

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a deixar comentários abaixo.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *